sexta-feira, 3 de outubro de 2008

Mais Uma

Na onda de boas notícias com relação as pesquisas com células-tronco, com a confirmação que trabalho conjunto entre Lygia da Veiga Pereira da USP e Stevens Rehen da UFRJ, resultou na primeira linhagem de células-tronco embrionárias brasileira, mais uma vem se juntar a ela. A Burril & Company, um dos maiores investidores em biotecnologia dos Estados Unidos, planeja lançar um fundo de capital de risco com US$ 200 milhões a US$ 300 milhões, para investir em inovação em ciências da vida (saúde, biotecnologia e agricultura) no Brasil.

A informação é da cientista brasileira Gabriela Cezar, uma das parceiras do fundo, professora da Universidade de Wisconsin-Madison e sócia da empresa de biotecnologia Stemina. Presidida por Steve Burrill, um dos homens mais influentes do setor de biotecnologia dos EUA, a Burrill & Company, com sede em São Francisco, administra US$ 950 milhões investidos em companhias do setor.

De acordo com Gabriela, o objetivo do fundo, que será um híbrido entre private equity e venture capital, é financiar empresas que surjam a partir de pesquisas desenvolvidas nas universidades, além de transferir tecnologia dos EUA para o Brasil. "A criação de empresas é a forma mais direta de transformar descobertas de laboratório em produtos", disse a cientista. "Não só para beneficiar os pacientes, mas também para gerar desenvolvimento para o país". É esperar para ver.

2 comentários:

Francisco Castro disse...

Olá, eu gostei muito do seu blog. Ele é muito bom.

Parabéns!

Um abraço

Paulo Kehdi disse...

Obrigado Francisco. O objetivo principal do blog é informar e fico feliz que você tenha gostado.

Abraços